quinta-feira, 12 de Junho de 2008

Chelon labrosus - Tainha, Muja


Nome cientifico: Chelon labrosus (Risso, 1827)
Família:Mugilidae
Ordem: Mugiliformes
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Nome do FishBase:Thicklip grey mullet
Tamanho máx.: 75.0 cm SL (macho/indeterminado); Peso máx. publicado: 4,500 g ; Idade máx. registada: 25 anos
Ambiente:demersal; catádromo; Água doce; Estuarina; Marinhas
Clima:subtropical; 65°N - 12°N, 24°W - 36°E
Importância: pescarias: espécie comercial; peixe desportivo: aquários públicos.
Resiliência: Médio, tempo mínimo de duplicação da população 1,4 - 4,4 anos (K=0.12-0.17; tm=3; tmax=25)
Vulnerabilidade: Alta vulnerabilidade (56.41), baseado em Lmax e K.
Distribuição: Atlántico Este: Escandavia e Islandia, até Senegal e Cabo Verde. Também no Mediterráneo e sudoeste do Mar Negro.
Morfologia:Espinhos dorsais (total): 5 - 5; Raios dorsais moles (total): 7 - 9; Espinhos anais 3; Anal soft rays: 8 – 9
Biologia: Ocorre em lagoas e ríos. Migra ocasionalmente, No verão deslóca-se ao norte. Aliménta-se de diatoméas, algas, pequenos invertebrados e detritus. Ovíparo. A reprodução é durante o inverno. Os ovos e larvas são pelágicos.
Origem: Mercado de Ponta Delgada.

Trachurus picturatus - Chicharro


Nome cientifico: Trachurus picturatus (Bowdich, 1825)
Família:Carangidae
Ordem: Perciformes (Percas)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Nome do FishBase: Blue jack mackerel
Tamanho máx.: 60.0 cm TL
Ambiente:bentopelágico; oceanódromo; Marinhas; intervalo de profundidade 305 – 370 m
Clima: subtropical; 45°N - 41°S, 32°W - 17°E
Importância: pescarias: espécies comerciais; price category: low; price reliability: reliable: based on ex-vessel price for this species
Resiliência: Médio, tempo mínimo de duplicação da população 1,4 - 4,4 anos-
Vulnerabilidade: De moderada a alta vulnerabilidade (48.89).
Distribuição: Atlántico Este: do Golfo de Bizkaia sur até Marrocos, incluindo Azores, Madeira, Canarias, Tristán de Cunha e Ilhas Gough.
Biologia: Acima dos 370m. Confinada em zonas neríticas de ilhas e montes marinhos. Migra entre a costa do Sáhara e atinge as Ilhas de Cabo Verde. Aliménta-se de crustáceos. Ovos pelágicos.
Origem: Mercado de Ponta Delgada.

Pseudocaranx dentex - Encharéu


Nome científico: Pseudoracanx dentex (Bloch & Schneider, 1801)
Família:Carangidae
Ordem:Perciformes(Percas)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Nome do FishBase: White trevally
Tamanho máx.: 122 cm TL. Peso máx. publicado: 18.1 kg; Idade máx. registada: 49 anos
Ambiente:associadas(os) a recifes; Estuarina; Marinhas; intervalo de profundidade 10 – 238 m
Clima: tropical; 40°N - 47°S
Importância: pescarias: espécies comerciais; Aquacultura: espécies comerciais; peixe desportivo.
Resiliência: Médio, tempo mínimo de duplicação da população 1,4 - 4,4 anos.
Vulnerabilidade: Muito alta vulnerabilidade (76.03).
Distribuição: Atlántico Oeste: dos USA até o sur do Brasil. Atlántico Este: Mediterráneo, Azores, Madeira, Canarias, Cabo Verde, Ascensão e Ilha Santa Helena. Indo-Pacífico: Sudáfrica, Japão, Hawaii, Australia, Lord Howe e Ilhas Norfolk, Nova Zelandia.
Morfologia: Espinhos dorsais (total): 9 - 9; Raios dorsais moles (total): 25 - 26; Espinhos anais 3; Raios anais moles: 21 – 22; Vértebras: 25.
Biologia: Ocorre em águas costeiras, incluindo estuarios (juvenís). Os cardumes podem estar asociados a arrecifes. Podem estar misturados com outros cardumes de Caranx koheru e Arripis trutta. Alimentan-se de planctom e invertebrados. Ovos são pelágicos.
Origem: Mercado de Ponta Delgada.

quarta-feira, 11 de Junho de 2008

Helicolenus dactylopterus - Bocanegra

Nome científico: Helicolenus dactylopterus (Delaroche, 1809)
Familia: Sebastidae, subfamilia: Sebastinae.
Ordem: Scorpaeniformes.
Classe: Actinopterígios (peixes com raios nas barbatanas)
Talla máxima: 47.0 cm TL; peso máximo publicado: 1,550 g; idade máxima reportada: 43 anos.
Medioambiente: batidemersal; Marinho; rango de profundidade 50 – 1100 m.
Importância: pesquerías: comercial.
Resiliencia: Muito baixo, populaçao duplicada em um tiempo mínimo superior a 14 anhos (K=0.06-0.2; tm=13-16; tmax=43).
Vulnerabilidade: Muito alta (68.44).
Distribução: Atlçantico Oeste: Nova Escocia, Canada e Venezuela. Atlántico Este: Islandia e Noruega até o Mediterraneo e o Golfo de Guinea, incluindo Madeira, Açores, e as Ilhas Canarias; também Walvis Bay (Namibia) até Natal (Sudáfrica).
Morfología: Espinhos dorsais (total): 12 - 12; Raios moles dorsaies (total): 12 - 13; Espinhos anais 3; Raios moles anais: 5.
Biología: Em áreas da plataforma continental. Alimenta-se de organismos tais como crustáceos, peixes, cefalópodes e equinodermes. Vivíparos, a época de reprodução é entre Marzo e Julho. Larvas e juvenís são pelágicos.
Origem: Modelo de Ponta Delgada.

Pagrus pagrus - Pargo


Nome científico: Pagrus pagrus (Linnaeus, 1758)
Família: Sparidae.
Ordem: Perciformes (Percas)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Tamanho máx.: 91.0 cm TL; Peso máx. publicado: 7,720 g.
Ambiente: bentopelágico; oceanódromo; Marinhas; intervalo de profundidade 0 – 250 m.
Importância: Pescarias: espécies comerciais; Aquacultura: espécies comerciais; peixe desportivo: sim; Aquário: Aquários públicos.
Resiliência: Médio, tempo mínimo de duplicação da população 1,4 - 4,4 anos (K=0.13-0.27; tmax=11; tm=0.9-3.0)
Vulnerabilidade: Moderada vulnerabilidade (41.49).
Distribução: Atlántico Este: Estreito de Gibraltar, Madeira, Canarias, Mediterráneo e Ilhas Británicas. Atlántico Oeste: USA, Golfo de México até Argentina e ilhas do Caribe.
Morfologia: Espinhos dorsais (total): 12 - 12; Raios dorsais moles (total): 10 - 10; Espinhos anais 3; Raios anais moles: 8.
Biologia: Ocorre em rochas e fundos de areia. Alimenta-se de moluscos, peixes e crustáceos.
Origem: SolMar de Ponta Delgada.

Beryx decadactylus - Imperador

Nome científico: Beryx decadactylus (Cuvier, 1829)
Família: Berycidae
Ordem: Beryciformes
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Tamanho máx.: 100.0 cm TL; Peso máx. publicado: 2,500 g.
Ambiente: batidemersal; Marinhas; intervalo de profundidade 110 – 1000 m
Importância: pescarias: espécies comerciais.
Resiliência: Baixo, tempo mínimo de duplicação da população 4,5 - 14 anos (K = 0.11-0.16; tmax >11)
Vulnerabilidade: Alta vunerabilidade (66.41).
Distribuição: Mundial en latitudes mornas e tropicais. Atlántico Este: Groenlandia, Islandia, Noruega e de Noruega até o Sáhara e Sudáfrica, incluindo oeste do Mediterráneo. Oeste Atlántico: Sul do Brasil. Indo-Pacífico: Este de África, Madagascar, Japão, Australia e Nova Zelandia.
Morfologia: Espinhos dorsais (total): 4 - 4; Raios dorsais moles (total): 18 - 20; Espinhos anais 4; Anal soft rays: 25 – 30.
Biologia: Na plataforma continental; adultos são demersais e juvenís pelágicos. Alimentan-se de crustáceos, peixes pequenos e cefalópodes.
Origem: SolMar Ponta Delgada.

Scorpaena scrofa - Rocaz


Nome científico: Scorpaena scrofa (Linnaeus, 1758)
Familia: Scorpaenidae, subfamily: Scorpaeninae
Ordem: Scorpaeniformes
Classe: Actinopterígios (peixes com raios nas barbatanas)
Talla máxima: 50.0 cm TL; peso máximo publicado: 2,960g
Meio: demersal; nao migratorio; Salobre; Marinho; rango de profundidade 20 – 500 m
Importância: pesquerías: comercial; Acuario: Acuarios públicos.
Resiliencia: Baixo, populaçao duplicada num tempo mínimo de 4.5-14 anos (K=0.08)
Vulnerabilidade: Alta vulnerabilidade (59.23).
Distribuiçao: Atlántico Este: Ilhas Británicas até Senegal, Madeira, Canarias e Cabo Verde. Mediterráneo.
Morfología: Espinas dorsales (total): 12 - 12; Radios blandos dorsales (total): 9 - 9; Espinas anales 3; Radios blandos anales: 5.
Biologia: Solitárioes e sedentarios nos fundos rochosos e de areia. Aliméntan-se de peixes, crustáceos e moluscos.
Origem: Madeira.

Beryx splendens - Alfonsim


Nome científico:
Beryx splendens (Lowe, 1834)
Familia: Berycidae
Ordem: Beryciformes
Classe: Actinopterígios (peces con aletas radiadas)
Talla máxima: 70.0 cm TL; peso máximo publicado: 4,000 g; edad máxima reportada: 23 anos.
Medioambiente: bentopelágico; Marino; rango de profundidad 25 – 1300 m
Importância: pesquerías: comercia.
Resiliencia: Baixo, populaçao duplicada num tempo mínimo de 4.5-14 anos (K=0.10-0.18; tm=5-7.5; tmax=23; Fec = 270,000)
Vulnerabilidade: Alta vulnerabilidade (65.28).
Distribução: Circumglobal, exclindo o Norte de Pacífico e Mediterráneo. Atlántico Oeste: Golfo de Maine até Golfo de México. Este Atlántico: Europa, Canarias até Sudáfrica. Indo-Pacífico: Japão, Hawaii, Australia e Nova Zelandia.
Morfología: Espinas dorsales (total): 4 - 4; Radios blandos dorsales (total): 13 - 16; Espinas anales 4.
Biología: Durante a noite sobem á superfície. Bentopelágico, juvenís pelágics. Ovíparos; ovos e larvas pelágicos.
Origem: SolMar Ponta Delgada.

Pontinus kuhlii - Bagre

Nome científico: Pontinus kuhlii (Bowdich, 1825)
Familia: Scorpaenidae
Ordem: Scorpaeniformes
Classe: Actinopterígios (peces con aletas radiadas)
Talla máxima: 52.0 cm TL.
Medioambiente: batidemersal; Marino; rango de profundidad 100 – 600 m
Importância: pesquerías: comercial.
Resiliencia: Baixo, populaçao duplicada num tempo mínimo de 4.5-14 anos (tm=6-8; K=0.07-0.13; tmax=18)
Vulnerabilidade: Alta vulnerabilidade (58.08).
Distribuiçao: Atlántico Este: Portugal, Madeira, Açores e Mediterraneo (Sicilia até a costa espanhola), Canarias e Cabo Verde.
Morfología: Espinhos dorsais (total): 11 - 12; Raios dorsais moles (total): 9 - 11
Biología: Em fundos. Aliménta-se de peixe e camarões. Fémeas são mais pequenas.
Origem: Madeira.

Lepidopus caudatus - Peixe espada branco



Nome científico: Lepidopus caudatus (Euphrasen, 1788)
Família: Trichiuridae , subfamilia: Lepidopinae
Ordem: Perciformes (Percas)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Tamanho máx.: 210 cm TL; Peso máx. publicado: 8,000 g
Ambiente: batidemersal; oceanódromo; Marinhas; intervalo de profundidade 42 – 620 m
Profundidade; 64°N - 49°S, 29°w - 176°w
Importância: pescarias: altamente comercial; peixe desportivo: sim.
Resiliência: Médio, tempo mínimo de duplicação da população 1,4 - 4,4 anos (K=0.3; tmax=7)
Vulnerabilidade: Alta a muito alta vulnerabilidade (71.33).
Distribuição: Atlántico Este: França, Mediterráneo até Senegal, Açores, Madeira e Canarias até Namibia e Sudáfrica. Sul do Océano Índico. Pacífico: Australia e Nova Zelandia.
Morfologia: Raios dorsais moles (total): 98 - 110; Espinhos anais 2.
Biologia: Plataforma continental. Migram a águas mais rasas durante a noite em cardumes. Alimenta-se de crustáceos e peixes. Ovos e larvas são pelágicos.
Origem: Modelo de Ponta Delgada.

Molva macrophthalma - Pescada dos açores


Nome cientifico: Molva macrophthalma (Rafinesque, 1810)
Familia: Lotidae
Orden: Gadiformes
Clase: Actinopterígios (peces con aletas radiadas)
Talla máxima: 108 cm TL (macho / não sexado)
Medioambiente: demersal; Marinho; intervalo de profundidade 30 – 754 m
Clima: subtropical; 61°N - 35°N, 13°w - 5°e
Importancia: pesquerías: sem interés
Resiliencia: Muito baixo, tempo mínimo de duplicação da população maior que 14 anos
Vulnerabilidade: alta
Distribução: Atlântico este, incluindo o oeste do Mediterraneo.
Morfología: Raios dorsais (total): 0 - 0; Raios anales 0
Biología:habita na ladeira superior. O intervalo de profundidade no este do Ionian oceano é de 388-754
Origem: SolMar, Ponta Delgada

Sphyraena viridensis - Bicuda


Nome científico: Sphyraena viridensis (Cuvier, 1829)
Familia: Sphyraenidae
Ordem: Perciformes
Classe: Actinopterígios (peces con aletas radiadas)
Talla máxima: 128 cm FL (macho / não sexado) ; peso máximo publicado: 8,200 g.
Medioambiente: pelágico; Marinho
Clima: tropical
Resiliência: muito baixo, populaçao duplicada num tempo minimo superios aos 14 anos
Vulnerabilidade: muito alta
Distribuição: Atlántico central e Este: Cabo Verde, Açores e Ilhas Canarias.
Morfología: Corpo fusiforme. Boca comprida, com capacidade protractil e com mandibola inferior prognata, tem duas filas de dentes caniformes. Na parte superior do cormo tem numerosas riscas verticales de cor preto.
Biología: Alimenta-se de cefalopodos, crustaceos e peixe.
Origem: lota, Ponta Delgada

Sparus aurata - Dourada


Nome científica: Sparus aurata (Linnaeus, 1758)
Família: Sparidae
Ordem: Perciformes (Percas)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Tamanho máx.: 70.0 cm TL; Peso máx. publicado: 17.2 kg; Idade máx. registada: 11 anos
Ambiente: demersal; Estuarina; Marinhas; intervalo de profundidade 1 – 150 m
subtropical; 62°N - 15°N, 17°W - 43°E
Importância: pescarias: espécies comerciais; Aquacultura: espécies comerciais; peixe desportivo: sim; categoria do preço: muito alta
Resiliência: Médio, tempo mínimo de duplicação da população 1,4 - 4,4 anos (K=0.28; tmax=11; tm=2-3).
Vulnerabilidade: moderado.
Distribuição: Este do Atlântico:Ilhas Britanicas, Estreito de Gibraltar ate o Cabo Verde e entorno as ilhas Canarias. Também no Mediterraneo.
Morfologia: Espinhos dorsais (total): 11 - 11; Raios dorsais moles (total): 13 - 14; Espinhos anais 3;
Biologia: Normalmente em profundidades de 30 m, mas os adultos podem aparecer em profundidades de 150 m. Peixe sedentario, na maioria das veces solitario, e se não pode aparecer em grupos pequenoso. Principalmente carnivoro, as veces herviboro. Alimenta-se de marisco.
Origem: Modelo, Ponta Delgada

Lophius piscatorius - Tamboril


Nome científico: Lophius piscatorius (Linnaeus, 1758)
Família: Lophiidae
Ordem: Lophiiformes (Tamboris)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Tamanho máx.: 200 cm SL; Peso máx. publicado: 57.7 kg; Idade máx. registada: 24 anos
Ambiente: batidemersal; Marinhas; intervalo de profundidade 20 – 1000 m
Clima: Profundidade; 75°N - 30°N, 27°W - 42°E
Importância: pescarias: altamente comercial
Resiliência: Baixo, tempo mínimo de duplicação da população 4,5 - 14 anos (K=0.08-0.16; tm=4.5; tmax=9; Fec=1 million)
Vulnerability: Moderada-alta
Distribuição: Atlántico Este, tambem Islandia e Mauritania.
Morfologia: Espinhos dorsais (total): 8 - 8; Espinhos dorsail moles(total): 11 - 12; Espinhos anais moles: 9 – 10. Peritoneo pálido. Cabeça e corpo deprimidos. Gão boca. Não escamas. Espinhos dorsais compridos
Biologia: Tem preferencia por solos areiosos o lamosos da costa até abranger profundidades de 1000m. Permanece meio enterrado esperando pela sua presa. Atrai a esta mediante o seo filamento pescador.
Origem: Modelo, Ponta Delgada

Oncorhynchus mykiss - Truta


Nome cientifico: Oncorhynchus mykiss (Walbaum, 1792)
Família: Salmonidae, subfamily: Salmoninae
Ordem: Salmoniformes (Salmões)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Tamanho máx.: 120 cm TL (macho/indeterminado; Ref. 5504); Peso máx. publicado: 25.4 kg; Idade máx. registada: 11 anos
Ambiente: bentopelágico; anádromo; Água doce; Estuarina; Marinhas; intervalo de profundidade 0 – 200 m
Clima: temperado; 10 – 24°C; 63°N - 53°n, 135°e - 169°e
Importância:pescarias: altamente comercial; Aquacultura: espécies comerciais; peixe desportivo: sim; baixo preço
Resiliência: Médio, tempo mínimo de duplicação da população 1,4 - 4,4 anos (K=0.38-0.46; tm=2-5; tmax=11; Fec=200)
Vulnerability: Moderada
Distribuição: Atlántico suloeste: Argentina. Pacifico Este: Peninsula Kamchatkan.Um dos peixes mais introducidos
Morfologia: Espinhos dorsais: 3 - 4; Espinhas dorsais moles: 10 - 12; Espinhos anais: 3 – 4; Espinhos anais moles: 8 – 12; Vertebras: 60 – 66. Corpo alongado, comprimido nos peixes mais compridos. Barbatana caudal com 19 raios.
Biologia: Juveniles de pequenho tamanho são bentopelagicos enquanto os maiores são pelagicos. Parece ser que esta truta é capaz de migrar, o pelo menos adaptarse ao marPrecisa de correntes e águas bem oxigenadas. Peixe anandromo, capaz de sobreviver até 11anos e defesando até 3 vezes. Os adultos alimentam-se de insectos aquaticos, moluscos, crustaceos e peixes pequenos os pequenos alimentam-se de zooplankton.
Origem: Modelo, Ponta Delgada

Dicentrarchus labrax - Robalo



Nome cientifico: Dicentrarchus labrax (Linnaeus, 1758)
Família: Moronidae
Ordem: Perciformes (Percas)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Tamanho máx.: 103 cm TL (macho/indeterminado); Peso máx. publicado: 12.0 kg; Idade máx. registada: 15 anos
Ambiente: demersal; oceanódromos; Água doce; Estuarina; Marinhas; intervalo de profundidade 10 – 100 m
Clima: subtropical
Importância: pescarias: espécies comerciais; Aquacultura: espécies comerciais; peixe esportivo
Resiliência: Médio, tempo mínimo de duplicação da população 1,4 - 4,4 anos
Vulnerability: Alta
Distribuição: Atlántico Este: desde Noruega até Marocco, ilhas Canarias e Senegal.
Morfologia: Espinhos dorsais (total): 8 - 10; Raios dorsais (total): 12 - 13; Espinhos anais 3; raios moles anail: 10 – 12. Terminaçao posterios do operculo aserrado. Duas espinhas operculares. Boca moderadamente protractil. Juveniles com pontinhos pretos na parte superios do dorso. Cabeça com escams cicloides.
Biologia: Os adultos manifestam comportamento demersal. Foram encontrados em zona litoral, estuarios, lagunas e por veces rios durante. Os juveniles formam cardume enquanto os adultos não são tão gregarios. Ovos pelágicos. Juveniles alimentam-se de invertebrados. Adultos piscivoros.
Origem: Modelo, Ponta Delgada

domingo, 8 de Junho de 2008

Conger conger - Congro



Nome cientifico:Conger conger (Linnaeus, 1758)
Família: Congridae , subfamily: Congrinae
Ordem: Anguilliformes (Enguias, congros e moreias)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Tamanho máx.: 300 cm TL (macho/indeterminado)Peso máx. publicado: 110.0 kg
Ambiente: demersal; oceanódromo ; Marinhas; intervalo de profundidade 0 – 1171m
Clima: temperado
Importância: pescarias: espécies comerciais; peixe desportivo: sim; Aquário: Aquários públicos.

Resiliência: Muito baixa, tempo mínimo de duplicação da população maior que 14 anos
Vulnerabilidade: Moderada-alta

Distribuição: Atlântico Este: Noruega e Islandia até Senegal. Também no Mediterraneo e Mar Preto.
Biologia: Encontrado em fundos rochosos e areiosos . Rango de profundidade desde 0-500 m e desde 305-1171 m no Mar Ionio oriental . Os individuos jovenes encontram-se principalmente na costa entretanto que os adultos têm preferencia por águas mais profundas. Predador nocturno de peixe, crustáceos e cefalópodos . Comercializado fresco e congelado. Como outras especies do grupo, reproduce-se apenas uma vez na vida . Sexualmente maduro aos 5-15 anos. Defeso no verao no Atlántico e no Mediterráneo. Produze 3-8 milhoes de ovos

Origem: Madeira

Phycis phycis - Abrótea



Nome cientifico: Phycis phycis (Linnaeus, 1766)
Família: Phycidae
Ordem: Gadiformes (Bacalhaus)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Tamanho máx.: 65.0 cm TL (macho/indeterminado); Peso máx. publicado: 3,910 g
Ambiente: bentopelágico; não migratória; Marinhas; intervalo de profundidade 13 – 614 m
Importância: pescarias: pouco comercial; price category: very high; price reliability: reliable: based on ex-vessel price for this species
Resiliência: Médio, tempo mínimo de duplicação da população 1,4 - 4,4 anos Vulnerabilidade: Moderada-altaDistribuição: Atlântico Nordeste : Bahia de Vizcaya a Maroco e sul de Cabo Verde. Também no Mediterraneo e nos Azores.
Morfologia: Espinhos dorsais (total): 0 - 0; Espinhos anais 0. Raios compridos nas babatanas pelvicas atingindo o origem da barbatana anal. Cor acastanhado no dorso tornando-se mais claro ventralmente.
Biologia: Encontrada perto das rochas nos 100-650 mNocturno, escondida nas rochas durante o dia .Alimenta-se principalmente de peixes pequenos e varios invertebrados
Proveniência: Madeira

Pagellus bogaraveo - Goraz


Nome cientifico:Pagellus bogaraveo (Brünnich, 1768)
Familia: Sparidae
Ordem: Perciformes (Percas)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Tamanho max.: 70cm
Habitat: bentopelagico; marino
Importancia: pescarias: comercial;
Resiliencia: Baixa; 4.5 - 14 anos para duplicar a populaçao (K=0.09-0.1; tmax=15; tm=4-5; Fec=70,000)
Vulnerabilidade: Alta
Distribuiçao: Atlântico Este: Noruega, Estreito de Gibraltar até Cabo Branco em Mauritania, Madeira, Ilhas Canarias, e Mediterráneo ocidental
Morfologia: Espinhos dorsais (total): 12 - 13; Raios dorsais moles (total): 11 - 13; Espinhos anais: 3; Espinhos anais moles: 11 – 12. Na base da barbatana pectoral presença de um ponto preto.
Biologia: Águas océanicas com diferentes tipos de solo (rocha, areia, lama) em 400 m (Mediterráneo) e 700 m (Atlântico); individuos jovenes perto da costa, adultos na plataforma continental especialmente sobre fondos lamicos. Omnivoros, mas com preferencia por crustáceos, moluscos, worms e pequenos peixes. Protándricos hermafroditas, tornam-se femeas com 20-30 de comprimento. Os adultos movimentam-se facia a costa de Janeiro até Junho. Importante peixe em culinaria. Comercializa-se fresco como congelado; consume-se empado, cozido e ao forno.
Origem: SolMar, Ponta Delgada

Aphanopus carbo - Espada preto




Nome cientifico: Aphanopus carbo (Lowe, 1839)
Família: Trichiuridae , subfamily: Aphanopodinae
Ordem: Perciformes (Percas)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Tamanho máx.: 110 cm SL
Ambiente: batipelágico; Marinhas; intervalo de profundidade 200 – 1700 m
Importância: pescarias: espécies comerciais; price category: low; price reliability: reliable: based on ex-vessel price for this species
Resiliência: Baixo, tempo mínimo de duplicação da população 4,5 - 14 anos
Vulnerabilidade: Alta
Distribuição: Atlantico Norte: em ambos lados
Morfologia: Espinhos dorsais (total): 34 - 41; Raios dorsais moles (total): 52 - 56; Espinhos anais 2; Raios moles anais: 43 – 48; Vertebras: 97 – 100. Corpo extremadamente comprido, with body depth 10.8 to 13.4 times in SL. O focinho e comprido com fortes dentes. Apresentam uma barbatana pelvica nos juveniles mas ausente nos adultos. Cor preto iridescente. Tanto na boca como nas cavidades branquiales sao de cor preto.
Biologia: Juveniles mesopelágicos. Batipelágicos. Migram facia a coluna de agua durante a noite e alimentam-se de crustáceos, cefalópodos e peixes (maioritariamente macrouridos, moridos e alpocefalidos). Quando atingirem os 80-85 cm alcanzam a maturidade. As larvas e os ovos sao pelágicos . Importante e apreciado peixe em Madeira.
Proveniência: Madeira

sábado, 7 de Junho de 2008

Serranus atricauda- Garoupa



Nome cientifico:Serranus atricauda (Günther, 1874)
Família: Serranidae
Subfamilia: Serraninae
Ordem: Perciformes (Percas)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Tamanho máx.: 43.2 cm TL
Idade máx. registada: 16 anos
Ambiente: demersal
Resilencia: Baixo, tempo mínimo de duplicação da população 4,5 - 14 anos
Vulnerabilidade: Alta
Biologia: Encontrado sobre leitos duros. Carnivoros
Proveniência: Madeira

Scomber japonicus - Cavala

Nome Científico: Scomber japonicus (Houttuyn, 1782)
Família: Scombridae , subfamily: Scombrinae
Ordem: Perciformes (Percas)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Distribuição: Circunglobal, costa oriental da América até à Nova Escócia, Canada até leste da Argentina. Distribuição no Indo-Pacífico para Scomber japonicus enquanto Scomber colias é achado no Atlântico. Scomber japonicus está aparentemente ausente da Indonésia e Austrália e é substituído pelo Scomber australasicus. População do Mar Vermelho e Oceano Índico do norte (Golfos de Áden e Omã) é Scomber australasicus. Dividindo completamente os holótipos entre amostras do Atlântico e populações de Indo-Pacífico sugerem que eles possam precisar ser reconhecidos como espécies separadas.
Habitat: Pelágico; Oceanódromo; Marinhas; Intervalo de profundidade 0 – 300 m
Biologia/ Ecologia: As espécies do litoral pelágico, menos extensas as espécies epipelágicas para mesopelágicas em cima do declive continental. Eles formam grupos. Formam-se grupos a partir aproximadamente do tamanho de 3 cm; também pode formar grupos com Sarda chiliensis, Trachurus symmetricus e Sardinops sagax. Os adultos ficam perto do fundo durante o dia subindo a água aberta à noite. Eles alimentam em copépodes e outros crustáceos, pesca e lulas. Ovos e larvas são pelágicos. Em águas asiáticas, eles movem a água mais funda e permanecem inactivos durante a estação de Inverno.
Proveniência: Madeira

Balistes capriscus - Peixe-porco

Nome Científico: Balistes capriscus (Gmelin, 1789)
Família: Balistidae
Ordem: Tetraodontiformes (Peixes-balão)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Distribuição: Atlântico oriental: Mediterrâneo a Moçamedes, Angola. Atlântico ocidental: Nova a Escócia (o Canadá), Ilhas Bermudas, e Golfo do norte de México para a Argentina.
Habitat: Associados a recifes; Marinhas; Intervalo de profundidade 0 – 100 m
Biologia/ Ecologia: Habitam baías, portos, lagunas... Quando sao jovens habitam em zonas de Sargassum. Normalmente é solitário ou em grupos pequenos. Alimentam-se de invertebrados bentónicos como moluscos e crustáceos. Ovíparos.
Proveniência: Madeira

Sarpa salpa - Salema


Nome Científico: Sarpa salpa (Linnaeus, 1758)
Família: Sparidae
Ordem: Perciformes (Percas)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Distribuição: Oceano Atlântico Oriental: baía da Biscaia e estreito de Gibraltar até à Serra Leoa incluindo Madeira, ilhas Canárias e Cabo Verde; Congo até sul de África. Também presente no Mediterrâneo.
Habitat: Bentopelágico; Oceanódromos; Estuarina; Marinhas; Intervalo de profundidade? – 70m
Biologia/ Ecologia: encontrados por cima dos substratos rochosos e na área arenosa com crescimento algal. Gregários, às vezes formando grupos consideráveis. Os mais jovens são na maioria carnívoros de crustáceos, a maioria dos adultos são herbívoros, alimentando-se de algas. Hermafrodita protântrico
Proveniência: Açores

Abudefduf luridus - Castanheta preta

Nome Científico: Abudefduf luridus (Cuvier, 1830)
Nome Comum: Castanheta preta
Família: Pomacentridae
Ordem: Perciformes (Percas)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Distribuição: Atlântico oriental: incluindo Madeira, Açores, Ilhéus Selvagens, Ilhas das Canárias, Cabo Verde e Senegal.
Habitat: Associados a recifes; Não migratória; Marinhas; Intervalo de profundidade 0 – 25 m
Biologia/ Ecologia: Adultos habitam áreas de costa rochosa, frequentemente próxima da areia; os jovens encontram-se em poças de marés. Alimentam-se principalmente de algas incluindo invertebrados minuciosos associados. Os machos protegem os ovos depositados em ninhos.
Proveniência: Madeira

Polyprion americanus - Cherne

Nome Científico: Polyprion americanus (Bloch & Schneider, 1801)
Família: Polyprionidae
Ordem: Perciformes (Percas)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Distribuição: Atlântico oriental: Noruega para a África do Sul, inclusive o Mediterrâneo, Ilhas das Canárias, Madeira, Cabo Verde, e da de Tristan da Cunha. Atlântico ocidental: Newfoundland, Canadá e Golfo de Maine para a Carolina do Norte, E.U.A. Registado do Uruguai para a Argentina. Oceano Índico ocidental: St. o Paul e ilhas de Amesterdão. Sudoeste do Pacífico: Nova Zelândia.
Habitat: Demersal; Oceanódromos; Marinhas; Intervalo de profundidade 40 – 600 m
Biologia/ Ecologia: Os adultos preferem habitar em cavernas e naufrágios. Os jovens congregam-se debaixo de objectos flutuantes. Normalmente solitários. Alimentam-se de crustáceos grandes, cefalópodes e de peixes bentónicos. É gonochorists primário (Ref. 58421).
Proveniência: Açores

Seriola rivoliana - Lirio


Nome Científico: Seriola rivoliana (Valenciennes, 1833)
Família: Carangidae
Ordem: Perciformes (Percas)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Distribuição: Circunglobal. Pacífico do Indo-oeste: do sul do Quénia à África do Sul e leste do Mariana e ilhas de Esteira na Micronésia, norte das Ilhas de Ryukyu ao sul e as Ilhas de Kermadec. Ausente no Mar Vermelho e Polinésia Francesa. Provável em Seicheles. Pacífico oriental: E.U.A. para o Peru, inclusive Ilhas de Galápagos. Atlântico ocidental: Cape Cod, E.U.A. para a Argentina do norte. Distribuição no Atlântico oriental não é estabelecida bem. Recentemente registrado de Ilha de Lampedusa dentro do mediterrâneo.
Habitat: Associados a recifes; Marinhas; Intervalo de profundidade 5 – 160 m
Biologia/ Ecologia: encontram-se em declives de recife exteriores e bancos perto da praia a 160 m ou mais. Formam grupos pequenos. Os adultos são pelágicos e demersais. Os jovens frequentemente são vistos ao redor de objectos flutuantes. Alimentam-se principalmente de peixes, mas também de invertebrados. Ovos são pelágicos.
Proveniência: Madeira

Thalassoma pavo -Bodião verde

Nome cientifico:Thalassoma pavo (Linnaeus, 1758)
Família: Labridae , subfamily: Corinae
Ordem: Perciformes(Percas)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Distribuição: Atlântico oriental: Portugal para sul de Capa Lopez, Gabão e inclusive as ilhas doa Açores, Madeira, Canárias, São Tomé e Annobon. Também no Mediterrâneo.
Habitat: Associados a recifes; Marinhas; Intervalo de profundidade 1 – 150 m
Biologia/ Ecologia: Habita águas litorais próximas de pedras e camas de enguia-grama. Normalmente solitário, às vezes em grupos pequenos. Alimentam-se de moluscos pequenos e crustáceos. Hermafrodita de Protogínico, com dimorfismo sexual distinto. Os ovos são pelágicos.
Proveniência: Madeira

Oblada melanura - Dobradiça



Nome Científico: Oblada melanura (Linnaeus, 1758)
Nome Comum: Dobradiça, dobrada
Família: Sparidae
Ordem: Perciformes (Percas)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Distribuição: Atlântico oriental: Baía de Biscaia, o Mediterrâneo, e do estreito de Gibraltar para Angola. Também conhecido na Madeira, Cabo Verde e as Ilhas de Canário.
Habitat: Bentopelágico; Oceanódromo; Marinhas; Intervalo de profundidade? – 30 m
Biologia/ Ecologia: Gregário, forma agregações em cima de fundos rochosos ou camas de seagrass (Zostera e algas). Omnívoro mas alimentando-se principalmente de invertebrados pequenos.
Proveniência: Madeira

Sparisoma cretense - Veja


Nome Científico: Sparisoma cretense (Linnaeus, 1758)
Família: Scaridae, subfamily: Sparisomatinae
Ordem: Perciformes(Percas)
Classe: Actinopterygii (peixes com raios nas barbatanas)
Distribuição: Atlântico oriental: Portugal, Açores e sul da Madeira às Ilhas Canárias e Senegal. Mar Mediterrâneo: mais comum nas costas orientais e sulistas.
Habitat: Associados a recifes; Marinhas; Intervalo de profundidade 20 – 50 m
Biologia/ Ecologia: Encontram-se em águas rasas ao longo das costas rochosas. Alimentam-se de algas e invertebrados pequenos. Espécies de herbívoros com ossos faríngeos especializados e músculos.
Proveniência: Madeira